Para onde vai quem mora aqui?

Para onde vai quem mora aqui?

Para onde vai quem mora aqui?
Tiradentes de quem é de Tiradentes

Todas às vezes em que as malas estão prontas, recebemos como um conselho: Quer conhecer a cidade? Observe quem são os personagens reais. Quer comer a verdadeira comida de uma região? Sente-se a mesa e converse.

Na procura “para onde vai quem mora aqui?”, chegamos ao Bar do João Rosa, com as melhores referências relacionadas à comida e hospitalidade. “O Bar do João Rosa tem os melhores tira gosto. Lá é uma portinha, mas vale a passada lá”, garantiu Tatiana Costa, cliente e turista assídua da região. 

João Rosa da Silva

Antes das 10 horas da manhã, João Rosa da Silva, 55 anos, observava a rua calmamente. Olhava para os transeuntes como se aguardasse a chegada de alguém, fato confirmado com a chegada de Geralda Sueli Guimarães Silva, de 46 anos. “Sueli. É assim que me conhecem e me chamam aqui na cidade”, ressalta.

Casados há 25 anos, destes, 22 à frente do Bar do João Rosa, no centro da pequena Tiradentes, no alto da Mantiqueira, João e Sueli estão na rua mais cobiçada e movimentada da cidade (Ministro Gabriel Passo, 26B, na Praça principal). O estabelecimento de poucos metros quadrados se destaca entre os grandões pela simplicidade e pelo aconchego, proporcionado pelos donos que deixam o cliente com a sensação de estar em casa.

Entre um dos poucos bares ainda de nativos, a varanda composta por duas mesas é desejada não só pelos tiradentinos, como também pelos turistas, que buscam cerveja gelada harmonizada com melhor tira gosto da região.

Tira gosto, proza e cerveja gelada.

O famoso torresmo e o frango à passarinho são os carros chef da casa, que serve ainda, bolinho de bacalhau, pastel de angu e petiscos. Segundo o proprietário João Rosa, as pessoas vão ao bar só para comer o tira gosto preparado por ele e por Sueli.  “As pessoas adoram, vem ao bar e a gente faz.”, destaca João Rosa.

O casal Silva não são chefs de cozinha, como diz Sueli: “Sou cozinheira, não estudei essas coisas de chef não. As pessoas vêm aqui por que gostam do nosso tempero. Tudo aqui é a gente que faz”, garante a cozinheira.

“Frango à passarinho, por favor!”

Frango crocante, sequinho com lascas de alho dourado e limão para acompanhar. O tempero do casal se faz presente na primeira mordida e aprova as recomendações que nos trouxeram até aqui.

Antenados ao mercado, no cardápio “Bom, como nos velhos tempos – desde 1984”, os Silvas melhoram o que já era bom, oferecem cervejas especiais e artesanais. Na ocasião, harmonizamos nosso tira gosto com uma refrescante Wäls Session e uma boa proza.